Os Anonymous atacaram um site do ISIS e infectaram milhares de jihadistas com malware

Loading...

A Amaq é a agência de notícias que fala “em nome” do Daesh. Ridículo, certo?

Parece que existe mesmo a agência de notícias que fala “em nome” do Dash. De acordo com o Expresso, “Duas horas antes do comunicado oficial do autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) a reconhecer a autoria dos atentados em Bruxelas, a agência Amaq confirmava em primeira mão a ligação do grupo terrorista às explosões ocorridas na manhã desta terça-feira no aeroporto de Zaventem e na estação de metro de Maalbeek”.

Parece que os Anonymous não gostaram disso e decidiram fazer alguma coisa.

O que aconteceu a seguir foi absolutamente surreal.

Os Anonymous entraram num site e disponibilizaram um ficheiro em flash no formato apk e por lhes acedia por Android, aceitando instalar a “ferramenta”, ficava infectado.

De acordo com alguns fóruns jihadistas, a aplicação permite espiar os jihadistas e no ISIS transmitindo a informação para uma localização não ainda identificada.

Um utilizador nos referidos fóruns disse que para se ver livre do malware teve que fazer reset ao equipamento.

[ads]

Em que site acontece isto?

Isto aconteceu no jiko.at, o site da agência de notícias Amaq. O site neste momento não pode ser acedido (foram removidas as entradas de DNS) mas o domínio está ainda activo e registado.

Mas, antes disso acontecer, o Google já tinha detectado o malware e aparecia esta mensagem:

 

Neste momento oficialmente nenhum grupo obteve o crédito para estes ataques, mas pensa-se estarem a ser levado a cabo pelo grupo #opisis, dos Anonymous, que tem feito várias investidas tecnológicas contra as infra-estruturas do ISIS.

As suspeitas são porque, horas antes disso acontecer, esta mensagem foi publicada no Twitter oficial da operação contra o ISIS:

 

 

Partilhe no Facebook
Loading...